Subir
Loading...
» Pepitas Bíblicas:
21.3.09

Mitsvah (Mandamento) – 1ª parte

O estudo da Escritura Sagrada é gratificante, mesmo que o estudante se dedique a conhecer apenas um vocábulo do Texto Sagrado. Àquele que se dedica ao estudo de um termo (cito como exemplo aqui, o caso da palavra hebraica: mitsvah) tem a mente desenvolvida para conhecer os propósitos de YHWH. O que significa, de certa forma, que o estudioso da Escritura Sagrada é conduzido a uma melhor reflexão para um bom entendimento da Palavra e a um mais profundo relacionamento com o Eterno.

 

tabuas  DO ÉDEN AO DESERTO DE SIM

Antes de falarmos da palavra mitsvah, analisaremos Génesis 2:2-3. Nesses dois versos observamos alguns detalhes que estão relacionados com a mitsvah  do deserto de Sim e a do monte Sinai.

“Ora, havendo Deus completado no dia sétimo a obra que tinha feito, descansou nesse dia de toda a obra que fizera. Abençoou Deus o sétimo dia, e o  santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que criara e fizera”.

As expressões e termos em destaques nos orientam sobre o propósito de YHWH, no que diz respeito ao sétimo dia da criação. Foi a esse mesmo dia, em outro lugar, que Ele denominou de: o sábado (Êxodo 16:23, 25-26 e 29; e 20:8-10). No entanto, em Êxodo 20:11 e 31:17 Ele dá a explicação do porquê, o sétimo dia da criação ser o sábado.

Embora o sétimo dia da criação não seja o único dia de descanso instituído por YHWH; isso, porque há na Escritura Sagrada os sábados cerimoniais, as festas fixas (Êxodo 31:13; Levítico 23:2, 4, 32 e 38); sabemos que é somente no sétimo dia da criação que encontramos duas características especiais que o distingue dos outros dias da semana e dos demais dias de descansos, das festas fixas. É o único dia que YHWH abençoou e santificou. Por isso que Moisés escreveu:

“...Amanhã é repouso, o santo sábado de YHWH...”; “Considerai que” YHWH vos deu o sábado; por isso, ele, no sexto dia, vos dá pão para dois dias ...” (Êxodo 16:23 e 29).

ABRAÃO E OS MANDAMENTOS

Os estudantes da Bíblia quando se deparam com a história do patriarca Abraão, logo se encantam com a fé e obediência do patriarca. Em seguida, passam a citá-lo como “o pai da fé”. E de fato é. Contudo, ele só obteve esse título porque obedeceu a YHWH. E no que diz respeito a essa obediência, um verso merece destaque. Está em Gênesis 26:5, YHWH falando a Isaque diz:

Porque Abraão “prestou atenção” (shama`) à “minha voz” (qowl), e “guardou” (shamar) “meu serviço” (mishmereth), “meus mandamentos” (mitsvah), “meus estatutos” (chuqqah) e “minhas leis (towrah)”.

Algumas versões, na Língua Portuguesa, trazem o termo: “mandados”, em lugar de “mandamentos”.

Em Génesis 26:5, é onde se encontra (no que se chama “Antigo Testamento”), a primeira ocorrência da palavra: mitsvah. O mais interessante é que a palavra está no plural. Que mandamentos são estes? Sabendo que Abraão é da linhagem de Sem. E sabendo também que ele é o primogénito do seu pai (Génesis 11:26-27), começamos a entender certas implicações com o fato dele ser da linhagem de Sem e ser primogénito. A partir disso, entende-se que todos os ensinos transmitidos por meio da bênção da primogenitura, através de todos os patriarcas, descendentes de Sem, chegaram até Abraão. Por isso, YHWH fez a declaração a Isaque: Abraão “prestou atenção” (shama`) à “minha voz” (qowl), e “guardou” (shamar) “meu serviço” (mishmereth), “meus mandamentos” (mitsvah), “meus estatutos” (chuqqah) e “minhas leis (towrah)”.

Não vamos discorrer aqui sobre todos os termos em destaques, que Abraão obedeceu. Contudo, a palavra “mandamentos” e o termo “leis” fazem parte do que estudaremos, para que entendamos um pouco mais sobre elas.

Uma importante pergunte que merece resposta é: Quais são os mandamentos (de acordo com YHWH que não pode mentir) que o patriarca Abraão guardou? Embora não tenhamos uma clara afirmação dizendo: Abraão guardou estes mandamentos... Como seres dotados de inteligência pelo Criador, podemos fazer um paralelo e, então comparar um texto com outro, e em seguida formamos nosso juízo, conforme as palavras do sábio Salomão: “Eis o que achei, diz o Pregador, conferindo uma coisa com outra, para a respeito delas formar o meu juízo.” (Eclesiastes 7:27).

O POVO DE ISRAEL E OS MANDAMENTOS

A segunda ocorrência da palavra “mandamentos” está em Êxodo 15:26. O texto diz o seguinte: “Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante dos seus olhos, e deres ouvido aos seus mandamentos (mitsvah), e guardares todos os seus estatutos (chuqqain), nenhuma enfermidade virá sobre ti, das que enviei sobre os egípcios; pois eu sou o SENHOR, que te sara.”

Infelizmente, algumas versões, tentam induzir as pessoas ao erro, ao traduzir Êxodo 15:25.

Então clamou Moisés ao Senhor, e o Senhor mostrou-lhe uma árvore, e Moisés lançou-a nas águas, as quais se tornaram doces. Ali Deus lhes deu um “estatuto” (choq) e uma “ordenança”, (mishpat) e ali os provou. (Êxodo 15:25)

Nesse verso, alguns tradutores sugerem (em suas traduções e comentários) que naquele local, YHWH deu “leis” e “preceitos”. Outros traduzem por “estatutos” e “ordenação”. Por outro lado, há versões que traduzem os termos por: “estatuto” e “ordenança”. Diante disso, comparando os textos, percebe-se que a palavra towrah (plural), traduzida por “leis” e o termo mitsvah, traduzido por mandamentos não aparecem em Êxodo 15:25. Os vocábulos towrah, assim como o termo mitsvah que aparecem, juntos, pela primeira vez em Génesis 26:5, só voltam a aparecer no mesmo contexto, em Êxodo 16:28. Mas, a palavra towrah (singular) aparece em Êxodo 12:49 e 13:9 relacionada à Páscoa e a saída do povo do Egipto. E mitsvah, como já foi visto, aparece em Êxodo 15:26. No entanto, é no capítulo 16 de Êxodo que encontramos a ocorrência dos termos towrah (no verso 4, singular: “lei” e no verso 28 no plural: “leis”) e mitsvah relacionados ao sétimo dia, o sábado.

O POVO DE ISRAEL E O MANDAMENTO DO SÁBADO

No que diz respeito aos mandamentos, quando fazemos uma leitura calma e com muita atenção, ao estudarmos o capítulo 16 de Êxodo, alguns versos se destacam. São eles: 4-5, 23-30. (Aqui, nosso objectivo não é abordar o milagre relacionado ao “maná”, “o pão do céu”).

O verso quatro diz: “Então, disse” YHWH “a Moisés: Eis que vos farei chover do céu pão, e o povo sairá e colherá diariamente a porção para cada dia, para que eu ponha à prova se anda na minha lei (towrah) ou não.”

Qual o objectivo de YHWH dá o maná? O que YHWH queria ensinar ao povo?

O verso cinco diz: “Dar-se-á que, ao sexto dia, prepararão o que colherem; e será o dobro do que colhem cada dia.”

Por que apenas no sexto dia eles deveriam pegar maná em dobro? Por que no sexto dia teriam que preparar o que iriam consumir no sétimo dia, o sábado? Que nome o sexto dia recebeu, por causa disso? (Mateus 27:62; Marcos 15:42; Lucas 23:54; João 19:31 – a palavra grega é: paraskeuédia de preparação, antes do dia sagrado)

O verso vinte e três diz: “Respondeu-lhes ele: Isto é o que disse o SENHOR: Amanhã é repouso, o santo sábado de YHWH; “o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobrar separai, guardando para a manhã seguinte.”

Nesse verso fica claro que a expressão: “Amanhã é repouso, o santo sábado de YHWH, é uma referência ao livro de Génesis 2:2-3. Além do mais, aqui refere-se ao sétimo dia que é o dia de “repouso” e é “santo”. Como então querem dizer que ele só passou a ter esses adjectivos com a proclamação do Sinai? Infelizmente isso ocorre, porque algumas versões traduzem assim: “amanhã é um dia de repouso...”; outras: “...um sábado”. Mas o correcto, com o verbo no presente do indicativo, é: “Amanhã é repouso, o santo sábado de YHWH.

O verso vinte e quatro diz: “Guardaram-no, pois, até o dia seguinte, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal, nem houve nele bicho algum”. O verso vinte e cinco diz: “Então, disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto o sábado é de YHWH; “hoje, não o achareis no campo.”

Alguém tem dúvida quanto ao motivo do povo não ter colhido maná durante o sétimo dia, o sábado?

O verso vinte e seis diz: “Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele, não haverá.”

Nesse verso, mais uma vez é dado destaque ao sétimo dia, o sábado. Isso é para que ficasse claro que o sétimo dia não é o sétimo a partir de qualquer dia, mas o dia que sucede ao dia da preparação, o sexto dia. Porque essa é a lógica da criação de YHWH e não a lógica do homem destituído da glória de Elohym.

O verso vinte e sete diz: “Ao sétimo dia, saíram alguns do povo para o colher, porém não o acharam.”

No entanto, por esse verso entendemos que em qualquer época e em qualquer lugar, durante a História da humanidade, sempre haverá os desobedientes e os incrédulos.

O verso vinte e oito diz: “Então, disse” YHWH “a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis?”

Se ainda restava dúvida, aqui ela não poderá persistir. YHWH declara de maneira positiva que o mandamento a que Ele se refere é ao sábado, o sétimo dia. Ele liga claramente o verso 28 aos versos 4 e 5. Alguns que procuravam maná, durante o sétimo dia, o sábado, foram reprovados no teste. Ou porque não eram mais guardavam mais o sábado, como o dia santo de YHWH, ou porque não quiseram obedecer aos ensinamentos de YHWH.

O verso vinte e nove diz: “Considerai que YHWH vos deu o sábado; por isso, ele, no sexto dia, vos dá pão para dois dias; cada um fique onde está, ninguém saia do seu lugar no sétimo dia.”

Por esse verso, entendemos que do mesmo modo que Moisés faz a afirmação: “Considerai que YHWH vos deu o sábado”, referindo-se ao povo no deserto, o Messias declarou: “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado” (Marcos 2:27), referindo-se a humanidade. Portanto, por mais que não pareça, tal afirmação de Moisés é um paralelo com o que ocorreu com Adão. YHWH depois que concluiu a Sua obra, descansou no sétimo dia e o abençoou e o santificou, para que, o sétimo dia, o sábado fosse uma benção a raça humana e santo a YHWH.

O verso trinta diz: “Assim, descansou o povo no sétimo dia.”

POR QUE O SÁBADO FOI UMA PROVA AO POVO, ANTES DO SINAI?

Depois partiram de Elim; e veio toda a congregação dos filhos de Israel ao deserto de Sim, que está entre Elim e Sinai, aos quinze dias do segundo mês depois que saíram da terra do Egipto.” (Êxodo 16:1)

Como está escrito, foi no deserto de Sim que o povo foi provado em relação à “lei” de YHWH e também em relação ao mandamento do sábado, o sétimo dia da criação.

Depois do que ocorreu no deserto de Sim, YHWH guiou o povo ao deserto do Sinai.

No terceiro mês depois que os filhos de Israel haviam saído da terra do Egipto, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai. Tendo partido de Refidim, entraram no deserto de Sinai, onde se acamparam; Israel, pois, ali acampou-se em frente do monte.” (Êxodo 19:1-2, 10-11 e 15)

Foi no monte Sinai que YHWH proclamou as “Dez Palavras” (Dez Mandamentos), e depois Moisés as recebeu, em duas tábuas de pedras (Êxodo 34:28; Deuteronómio 4:13 e 10:4).

De acordo com estes versos: Êxodo 16:1 e 19:1-2,10-11 e o 15, pelo menos 16 dias separaram o relato de Êxodo 16 do relato de Êxodo 20, quando houve a proclamação das “Dez Palavras” (Dez Mandamentos). Porque o maná começou a ser dado um dia depois que eles chegaram ao deserto de Sim, de acordo com Êxodo 16:7; e a proclamação ocorreu depois que chegaram ao monte Sinai. Isso, pelo menos no terceiro dia, conforme Êxodo: 19:15.

YHWH provou o povo antes do Sinai, com relação à Lei (Seus ensinos) e ao sábado (Seu mandamento), porque Ele não queria que o ser humano observasse o sábado apenas como um mandamento proclamado entre outros. No entanto, o sábado é muito mais que um mandamento (Êxodo 20:8-11, ele é um sinal que aponta para criação e para o Criador (Êxodo 31:17) e também é uma aliança perpetua (Êxodo 31:16; [Ver Isaías 56:6]). Essa aliança lembra outra aliança que YHWH fez com o dia e com a noite (Jeremias 33:20 e 25).

AS MITSVAH (OS MANDAMENTOS) E A IRA DO DRAGÃO

Sem que se tenha a pretensão de dar menos importância ao que foi dito e escrito pelos demais profetas, que antecederam ao mensageiro de Patmos, queremos demonstrar a harmonia que há entre os livros de Génesis e Apocalipse.

No capítulo 12 de Apocalipse percebemos a dupla referência que há a nação de Israel e a Igreja; mas, em relação ao nosso estudo, um detalhe chama nossa atenção: “Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus.” (Apoc. 12:17). A palavra usada nesse verso, na Língua Grega, para mandamento é: entolé. Esta é a mesma palavra que traduz o vocábulo hebraico: mitsvah.

A outra ocorrência do termo mandamentos encontra-se em: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” (Apoc. 14:12)

Por esses dois versos percebe-se claramente que os mandamentos de YHWH não foram abolidos com a morte de Yeshua; nem, tão pouco, o ser humano está desobrigado de guardá-los.

Portanto, entende-se, por tudo isso, que o sétimo dia, o sábado da criação, que é um dos mandamentos de YHWH, foi dado à humanidade e não ao povo de Israel. Por isso o Messias declarou: “O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado” (Marcos 2:27). O sábado foi criado depois de Adão. No entanto, ao povo de Israel YHWH confiou, dentre outras coisas: “os oráculos” (Romanos 3:1-2), “as alianças”, “a promulgação da lei” e “promessas” (Romanos 9:3-5).

Diante disso, medite neste verso: “Abriu-se, então, o santuário de Deus, que se acha no céu, e foi vista a arca da Aliança no seu santuário, e sobrevieram relâmpagos, vozes, trovões, terramoto e grande saraivada.” (Apoc. 11:19).

 

OBS: A transliteração adoptada para os versos (Génesis 26:5; Êxodo 12:49; 13:9; 15:25-26 e 16:4 e 28), foi baseada na concordância de Strong.

Autor: Josiel

 

archive-24 Copie o texto

: Lista de Comentários :

: solidariedade :

The Breast Cancer Site