Subir
Loading...
» Pepitas Bíblicas:
11.7.08

Teria Jesus vivido antes?

Documento pré-cristão põe em causa ressurreição de Jesus .
Já se falava de um Messias ressuscitado antes de Cristo ter nascido. Pelo menos é essa a interpretação que investigadores fazem da inscrição, em hebraico, numa pedra encontrada no Mar Morto e que data do século I antes de Cristo.


A inscrição na pedra - adquirida por um coleccionista israelita na Jordânia, há oito anos - sugere que a ressurreição do Messias não é única nem genuína do cristianismo.
De acordo com aquele texto, que investigadores já decifraram, a ressurreição seria um conceito adoptado pelo judaísmo ainda antes de o ser pelo cristianismo.
A premissa de que Jesus era o Messias e ressuscitou três dias depois de morrer - vencendo a própria morte - serve de base à fé cristã.

Confirmar-se que a ressurreição aconteceu antes de Cristo seria pôr em questão o dogma católico da ressurreição de Jesus.

O judaísmo sempre encarou Jesus apenas como um profeta que mudou as crenças tradicionais, mas não como o Messias ou o filho de Deus.
Agora, esta descoberta vem reacender o debate, enquanto investigadores decifram as 87 linhas do texto em hebraico, escrito na pedra, e não esculpido, em duas
colunas. - Irás viver" .

A imprensa israelita chama-lhe "A Visão de Gabriel", uma vez que grande parte do texto remete para uma visão do apocalipse transmitida pelo anjo Gabriel.
Israel Knohl, professor de estudos bíblicos da Universidade Hebraica de Jerusalém, explicou que se trata de um texto profético escrito no século I antes de Cristo, e que cita este anjo: "Daqui a três dias irás viver. Eu Gabriel, te ordeno".

Dois investigadores israelitas, Ada Yardeni e Binyamin Elitzur, publicaram uma análise detalhada do escrito em 2007, atribuíndo-o ao século I a.C. No entanto, consideraram indecifrável a palavra que se segue a "daqui a três dias", na 80ª linha.

Knohl, por seu turno, argumenta que a palavra é "Hayeh" ou "viver" no imperativo.

Segundo a interpretação deste docente, a lápide sugere a ideia de que o sangue do Messias morto e ressuscitado é necessário para atingir a redenção, o que demonstraria que a premissa terá sido adoptada pelo judaísmo antes de o ser pelo cristianismo, já que o texto foi escrito previamente.
Knohl sublinha que esta interpretação sustenta uma teoria que ele já tinha exposto num livro editado em 2000, segundo a qual existia um Messias antes de Cristo.
A polémica revelação do investigador, a partir da sua interpretação dos escritos, foi revelada numa conferência no Museu de Israel, subordinada à celebração dos 60 anos da descoberta dos "Manuscritos do Mar Morto".


Informação adicional:
nytimes
Independent
e aeiou

Foto: NYTimes

Comentário e-medita:

Não colocando em causa a descoberta arqueológica e considerando até que a datação de carbono esteja correcta, a sua credibilidade é esmagada pelos textos Bíblicos do Novo e Vellho Testamentos. Aceitar esta prova com o intuíto de deitar abaixo a Fé Cristã, convenhamos que é muito pouco, faltando-lhe solidez e enquandramento profético no Velho Testamento.

Se não vejamos:

  • Servir a Deus é comprovar a Sua imutável fidelidade e amor pelos Seus filhos mergulhados neste mundo de pecado e que as Suas profecias se cumprem geração após geração até nos alcançar mantendo a mesma coêrencia.
  • Essa evidência maravilhosa assentes na imutabilidade Divina que é o Nome de Jesus revelado de maneira profética em todo o Velho Testamento. O Seu nome no original hebraico é «Yeshua», que significa « Salvação ».
    Toda a vez que o Velho Testamento usa a palavra salvação, está registado mais de 100 citações de Génesis a Habacuque, especialmente com o sufixo «meu, teu, seu», com pouquissímas execpções é exactamente a mesma palavra - Yeshua (Jesus), a mesma palavra usada em Mat. 1:21 - « E dará à luz um filho, e chamarás o seu nome de Jesus (Yeshua); porque ele salvará o Seu povo dos seus pecados » - quando o anjo anunciou a Maria o nome de seu filho.
  • Vemos isso de forma inequívoca em Gén. 49:18, na exclamação de Jacó: « A Tua salvação (Yeshua) espero, ó Senhor!» - Jacó sabia que Deus enviaria «Yeshua» e que este era a salvação.
    David no Salmo 9:14 exclama: « ...e me alegre na Tua Salvação (Yeshua). »
  • Lemos em Isaías em 62:11 - « ....Eis que a tua salvação (Yeshua) vem; Eis que, com ele, vem o Seu galardão, e a Sua obra diante dele. »
  • Já em Lucas 4:16-21 - Jesus «Yeshua» citou e confirmou a profecia de Isaías quando num dia de Sábado abriu o «Tanach» - Bíblia judaica, e leu a citação de Isaías atrás referida.

A prova inequívoca de que Jesus «Yeshua» está tão vivo nas páginas das Escrituras, confirma que Deus ao enviar o Seu amado Filho permitiu reconduzir o pecador à Sua presença, desde que aceitasse «Yeshua» como único e exclusivo Salvador.

1 comentários:

Anónimo disse...

Um achado interessante mas que em nada contraria o factos já conhecidos nem a Fé Cristã. Que este achado se tiver mérito que contribua para fazer reflectir o mundo Judaico.

Gostei muito do v/ comentário e vem muito a propósito. [Magda]

: Lista de Comentários :

: solidariedade :

The Breast Cancer Site